quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Estrada da Vida

Texto: ESTRADA DA VIDA
Autor: Sidney Santborg

Peguei a estrada pra buscar alegria.
Uma bela estrada, que para a realização me conduzia...
Por mim os carros, caminhões e ônibus passavam.
Estavam em alta velocidade, mas a pé e devagar eu prosseguia.
Sem me cansar, continuei a caminhar.
Vendo a beleza, que ninguém mais via.
Quero continuar a andar e aproveitar o que essa estrada quer me mostrar.
Não quero carona, quero chegar ao meu destino.
Para que um dia possa contar a todos como cheguei.
As lutas que passei...
E me orgulhar de ter percorrido a estrada da vida.
Onde Deus era o meu guia.

sábado, 27 de outubro de 2012

Universo Particular

Texto: UNIVERSO PARTICULAR
Autor: Sidney Santborg

A cada dia tenho buscado conhecer o meu universo particular.
Mergulhando em pensamentos, que me levem à perfeita satisfação.
Não se trata de querer fugir de minha real situação...
Mas buscar uma forma de reflexão sobre o que realmente vale a pena.
Tentando transformar-me e fazer o meu universo interior infinito.
Não que eu precise de mais espaço, mas preciso reorganizar os meus planetas.
Colocar na órbita do meu sol as prioridades a serem conquistadas.
Para que possa sair da escuridão e da frieza das incertezas.
E deixar de vagar por galáxias longínquas, que me afastam do meu eu.
Levando-me aos riscos, onde a decepção é sempre iminente.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Por Um Dia, o Anjo da Vida













Conto: POR UM DIA, O ANJO DA VIDA
Autor: Sidney Santborg

De repente, estava sobrevoando uma cidade desconhecida...
Resolvi descer um pouco mais para observar cada pessoa daquele lugar.
Rapidamente senti algo passar por mim em alta velocidade...
Assustei-me um pouco, por ter passado tão próximo a mim.
Mas o que passou nem me notou...
Continuei o meu caminho bem lentamente flutuando sobre a avenida.
E logo avistei o que passara por mim... Tinha acontecido algo.
Fui me aproximando e quando avistei aquela aglomeração é que percebi...
Tinha alguém ali que não estava bem... Podia sentir a dor que aquele jovem sentia.
Como em uma conexão de pensamentos, ele me pedia ajuda.
Nos olhos existia o medo... E as lágrimas rolavam pelo seu rosto.
O desespero lhe afligia a alma...
Resolvi me aproximar um pouco mais; e logo sem que me notassem.
Atravessei toda aquela barreira de curiosos a sua volta.
Já estava a sua frente e ele me olhava fixamente, ninguém dizia nada, só esperava...
Em pensamentos me pediu que não o levasse... Assustado, eu não entendi...
Olhei para o lado, vi a sua moto despedaçada e seu capacete dividido ao meio...
Ele repetiu com uma voz trêmula... Tenho uma filha pra criar...
Pensei de imediato que o pobre rapaz estava delirando... O que ele acha que sou?
Tentei segurar sua mão para confortá-lo e não consegui...
Eu estava como uma figura translúcida.
Novamente olhei para seu rosto e ele agonizava...
Busquei alcançar sua face e de súbito senti algo...
Uma energia passava do meu corpo para o dele.
Senti meus ombros erguendo-se e asas em mim apareceram...
Não conseguia compreender tal fato... Mas naquele momento sabia como proceder...
Como um lençol branco minhas asas o envolveu...
Fechei os meus olhos e algo aconteceu... Luzes, muitas luzes...
Brancas luzes nos cobriram, como holofotes em nossa direção.
Nunca consegui saber de fato o que ocorreu...
Nunca estive naquele lugar... Mas certo dia...
Estava eu andando pela rua, quando do nada me apareceu.
Aquele jovem com um sorriso aberto, veio ao meu encontro e agradeceu.
E disse: não é pra entender é pra aceitar. Deus capacita os escolhidos...

Imagem retirada:
imaginescomliamniallharrylouiszain.blogspot.com

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Visão de Hoje

Texto: VISÃO DE HOJE
Autor: Sidney Santborg

Futuros habitantes deste imenso planeta... Hoje as pessoas se aglomeram em filas, grupos e outros... E nada nas sonoras ondas da música, fazendo de sua infelicidade a alegria para sobreviver. Pessoas que fecham os olhos, para que o coração não sinta a fome, que leva para outros planos, o homem que nada tem.
Apesar de um ser representar no poder milhares de outros, não influi em nada na igualdade desses milhares e sim em uma diferença cada vez maior que leva indiferentes às ruas, onde seu lar é o lugar que chegar.
As terras verdes e águas azuis, onde a vida está presente, podem desaparecer em um segundo, dominado pela ganância que nunca é ausente. Terras onde um só ser tem o poder para decidir quem vai viver e é capaz de construir a vida com a morte. Sem se prender aos preceitos da vida pode deformar toda uma geração, até mesmo destruir toda a população com o “Bum” de um simples tocar de botão.
Esses habitantes atuais transformam a beleza de um jardim em pó, que destrói a consciência e promove visões trazendo o inferno a sua frente, levando o indivíduo aos exércitos mortais, onde o mal tenta prevalecer.
O sofrimento e a violência têm clareado a escuridão dos grandes centros e se espalhado como uma epidemia... Ocasionando conflitos entre as mortalhas azuis e cinzas com os descamisados, que nem mortalhas têm.
Esse mesmo planeta, que destrói a inocência de uma criança, forçando o prazer por moedas e que mata sem oferecer o remédio pra curar, é altamente capaz de se reorganizar, possui meios que rompem fronteiras... E que podem influenciar milhares, seja para o bem ou para o mal; pode se reinventar e pode nos dar alegria, muitas alegrias, que somos capazes de chorar.


Este texto foi escrito em setembro de 1998. Estava revendo minhas coisas e o descobri em minhas anotações e escritos antigos. Resolvi compartilhá-lo com vocês.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

A Descoberta do Espírito

Texto: A DESCOBERTA DO ESPÍRITO
Autor: Sidney Santborg

Faça um mergulho no seu íntimo.
Desprenda-se de todos os problemas que o aflige.
Busque resgatar os melhores momentos da infância.
Visualize como tudo era simples e fácil.
Visualize a época da inocência, onde tudo era puro.
A maldade, a violência, os tormentos do dia a dia e os problemas não existiam.
Veja como uma criança precisa de tão pouco pra ser feliz...
Permita que a simplicidade daquele espírito imaculado encha o seu coração.
Permita o transbordo de alegria de dentro para fora.
Não importa se ainda é um jovem, um adulto ou um velho...
O que importa é ter esse espírito, onde tudo, mesmo que simples, possa te contagiar.
E você consiga externar a alegria que isso te proporcionou com uma gargalhada, ou apenas com um sorriso sincero, pois isso liberta a alma.
Essa alegria simples e pura é o Espírito Santo, que muitas vezes não deixamos espaço pra ele agir, fechamos nossos corações e não nos permitimos sentir a paz espiritual.  Por isso permita-se ter um espírito feliz como o de uma criança.
Ser adulto não é ter um espírito atormentado por preocupações e problemas.
Ser adulto é somente uma responsabilidade que se passa a ter no convívio social. Mas não deixe que esse convívio lhe afaste da paz espiritual, da verdadeira alegria e da simplicidade com que você possa viver.
Aprenda com as crianças, elas são simples e puras; elas são sinceras e por isso feliz; elas são protegidas de Deus; elas têm um Espírito Santo... Permita-se sentir essa alegria, abra as portas do seu coração, não importa o que os outros vão pensar ou falar, o que importa é viver feliz e saber que temos um Espírito Santo dentro de nós.

Um dia Feliz a todas as crianças e aqueles que têm um espírito jovem, sincero e feliz como uma criança.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

EU APOIO!

Vídeos referentes a Sidney Santborg

Loading...