sexta-feira, 30 de agosto de 2013

A Flor Mais Bela


















Texto: A FLOR MAIS BELA
Autor: Sidney Santborg

Estava tudo tão parado, tudo tão calado, tão amargurado.
E eu sem saber o que fazer e para aonde ir...
Era um sentimento que estava aqui petrificado dentro de mim...
No meu quarto escuro, preso em meus muros de obsessão.
O meu mundo estava turvo e eu isolado, parecia sem visão.
Somente abrindo a janela percebi a flor mais bela.
Que passou a me olhar. Não achava graça nela.
Mas foi curioso e me deixou nervoso, voltei a enxergar.
Aquele dia negro, como seu cabelo, começou a clarear.
Senti o seu perfume, já via a sua beleza e a sua cor.
Era o seu sol trazendo luz e me fazendo sentir calor.
Senti uma chama quente no meu peito e o sangue a circular.
Pelas veias secas que pareciam raízes me fincando naquele lugar.
O meu semblante pálido de imediato começou a se corar.
Você me fez ouvir o som de uma linda canção...
Eram batidas fortes vindas do meu coração.
Eu já sentia o ar nos meus pulmões, estava a respirar...
Como um espanto já estava fora para te encontrar.
E com um sorriso branco você olhou pra mim...
Era um encanto te receber assim...
Bem-vinda VIDA... Esse é seu nome.
Bem-vinda amiga, não me abandone.

Imagem: bc-beblogspotcom.blogspot.com

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Game Over


















Texto: GAME OVER
Autor: Sidney Santborg

Cansei de ficar esperando sem saber o que esperar.
Cansei de olhar no horizonte e a visão não te alcançar.
Chega de imaginar o inimaginável de mim e você.
Cansei de mim mesmo quando só queria entender...
O que se passa na sua mente, se ela mente e engana-me?
Chega de ser ludibriado por você e por mim...
Esperando ansioso pelo dia de sua atenção.
Pelo encontro, pelo beijo e por seu coração.
Não quero mais sentir o derramar em meus olhos.
Não quero mais minh’alma aflita por compaixão.
Cansei desse laço que me enforca o pescoço.
Cansei desse seu abraço que aperta sem abraçar.
Chega desse amasso que apenas quer sufocar.
Não o meu corpo, mas meu espírito que fica a vagar.
Chega de dormir mais cedo para te encontrar.
Porque você só existe em meus sonhos...
E ainda assim os transforma em pesadelos.
Cansei desse jogo, pois o perdedor sempre sou eu.
Cansei da vitória perdida nos últimos minutos.
Cansei dessa vida empobrecida de autoestima.
Que se deixa levar como poeiras ao vento...
Onde a direção muda a todo o momento.
E eu permaneço aqui, dentro de mim...
Chega de me apegar aos devaneios.
Porque neles só há frustração e anseios.
Agora é para valer e nem queira entender.
Mas desisti de tudo, é the grand finale.
E nesse jogo posso enfim comemorar...
Game over para você e go out  para a vida.

Imagem: www.theironden.com

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Simulacros do Natural
















Texto: SIMULACROS DO NATURAL
Autor: Sidney Santborg

Alguns dizem por aí que o natural é que é legal...
O que seria o natural? A realidade nua e crua?
A possibilidade de sentir de forma mais palpável?
A natureza nas suas mais diversas formas vegetal, animal e mineral?
A visão, a audição, o olfato, o paladar e o tato?
A carne viva comandada pela metafísica que busca razão do ser?
O olho no olho, o dente por dente e sei lá o que vai acontecer?
A troca de palavras quando necessária e não diz nada...
Somente um vomitar sonoro para satisfazer a curiosidade aguçada.
O toque no toque e, por favor, não me toque e me poupe de seu contato.
Não querer sentir de verdade, querer apenas na virtualidade observar...
Porque o natural traz dor, sofrimento e lágrimas de ódio e rancor...
E quem disse que o virtual hoje não é natural?
Engana-se quem pensa que não é real a naturalidade do virtual.
E ainda quem pensa que a vida fantasiosa só existe na virtualidade...
A mente é um celeiro de distopias criadas para confundir.
Não o detentor das ideias, mas aqueles que tentam entender.
Hoje tudo é natural, seja real ou virtual... Seja ficção ou não...
Até a alma é natural. Pois está ligada à essência da natureza humana.
Que indiscutivelmente é sentimental... A carne externa as marcas d’alma.
E o espiritual é natural? Geralmente eleva-se ao sobrenatural.
Como de fato diz-se que é... Mas também está ligado ao homem.
Um pouco diferente da alma, pois alma é sentimento e espírito é razão.
E que diferença há nisso? Todas estão interferindo na vida...
E acabam conduzindo a um caminho... Seja de amor ou de dor.
Percebe-se que o espírito e a alma também teêm sua naturalidade.
Seja material ou imaterial... A alma com o mundo, e o espírito com Deus.
O sobrenatural é natural para aqueles que o veem como mudança aqui.
Fincados na Terra e não em outros mundos que talvez só exista na mente.
Mas acreditar que isso exista, faz bem. É uma forma de fuga dessa realidade.
Onde se vê ao natural o que só imaginaríamos ver na ficção.
Prefiro desfrutar da minha naturalidade de forma sobrenatural.
Vivendo no meu mundo acreditando que ainda existe uma razão para tudo.
Que ainda se pode sonhar com algo que possa satisfazer minha alma.
De forma a não contrariar o meu espírito e que a felicidade seja real.
E não um simulacro apoteótico do que hoje se tornou natural.

Imagem: Michal Macku
Retirada do blog: http://pequenoinventario.blogspot.com.br/2012/10/simulacro.html
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

EU APOIO!

Vídeos referentes a Sidney Santborg

Loading...