sábado, 29 de abril de 2017

Encontro de Almas



Texto: ENCONTRO DE ALMAS
Autor: Sidney Santborg

Sabe aquele dia em que você não imagina que algo interessante vai acontecer?
Eu estava assim... E jamais imaginaria que, mesmo em um local diferente da onde eu costumava trabalhar, seria um dia tão surpreendente.
Foi um mergulho em um mar de pensamentos que me trouxe um sentimento diferente.
Primeiro porque não pensei que meus olhos encontrariam outros olhos e eles me falariam tantas coisas.
Talvez eu tenha me surpreendido demais e me resguardado de dizer o que eu realmente gostaria. Mas sentia os seus olhos dizerem tudo o que eu gostaria de saber.
Às vezes tenho essa mania de deixar a timidez me atrapalhar de ser feliz...
Talvez por medo de me expor ao engano e a decepção ser a resposta para o meu devaneio.
Vi você me olhando e eu queria te encarar, cheguei a fazer isso algumas vezes, mas faltou a oportunidade de me aproximar de fato.
Tentei chegar próximo, mas parecia que algo estava disposto a nos separar.
Estávamos em momentos diferentes em determinados lugares e somente nos cruzávamos na correria dos nossos afazeres, muito rapidamente.
Só ficava o desejo de chegar perto e trocar um oi.
Eita vontade de sentir o sabor daquela boca...
Eita necessidade de sentir você em meus braços e por alguns instantes derreter em seu calor.
Eita maldito desencontro que não nos dá oportunidade de chegarmos perto um do outro.
Ficamos por horas nessa dança sem sequer dar um passo...
Eu sentia o dia se findar e o receio de te ver partir já começava a me atormentar.
Tentei de tudo para te encontrar antes de partir. Porém, a conspiração do universo impedia o nosso encontro.
Quando enfim nos cruzamos foi apenas para uma breve despedida.
Eu teria que adentrar uma sala e foi quando a vi sair. Seus olhos me disseram adeus, enquanto os meus lhe pediam pra ficar.
Você partiu e eu fiquei... Desceu no primeiro elevador... A ligação acabou quando a porta se fechou.
Rapidamente meu coração viu a saída de emergência, desci desesperadamente os degraus das escadas do 10° ao 1°andar.
Era como se o mundo fosse acabar e a minha atitude mudasse tudo.
Sim, mudaria o meu mundo, a minha história...
Cheguei ao térreo suado, cansado e descabelado, mas a tempo de te ver sair do elevador.
O seu sorriso foi a confirmação da surpresa e os seus olhos novamente se encontraram com os meus.
Não foi preciso uma só palavra... Houve o encontro de almas.
Nós nos aproximamos e ficamos nos olhando um na frente do outro.
Como se ninguém mais existisse naquele lugar.
Nossos olhos viram o nosso interior e o beijo foi a resposta para o início de uma grande e linda história de amor.

Imagem retirada: http://bloggdoteosofista.blogspot.com.br

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Tão Perto, Mas de Mim Distante














Texto: TÃO PERTO, MAS DE MIM DISTANTE.
Autor: Sidney Santborg

Quando te vi já sabia de tudo...
Passei por entre tantas pessoas e meus olhos procuraram os seus.
Desvendei mistérios, li sua alma e a ti entreguei o meu segredo.
Algo guardado em mim, no mais íntimo do meu ser.
Pude me mostrar através de um olhar...
Uma palavra sequer foi dita.
Mas naquele momento os nossos olhos falaram...
Eles externavam o grito dos nossos corações.
E a sede de algo que somente a boca era capaz de mensurar.
Uma vontade indefinida que não sei explicar.
Por longos minutos só ficamos nos observando...
Uma atitude teria que ser tomada.
Então resolvi me aproximar.
Minhas mãos estavam geladas...
E na minha mente um ensaio de pensamentos.
Muitos deles desciam ladeira abaixo se atropelando.
Como te impressionar?
Como quebrar o gelo de minhas mãos?
Como falar do fogo que queimava meu coração?
Decidi finalmente ir até você...
Você estava parada, eu não podia perder aquela oportunidade.
Quando ia me aproximando, alguém chegou antes de mim...
– Oi, amor! Vim te buscar.
Passei direto por você, desviando-me do terrível engano.
O gelo das minhas mãos resfriou o fogo que queimava a minha alma.
E a dor do resfriamento brusco petrificou o meu coração que se quebrou.
E os mesmos olhos que a ti revelaram os meus segredos,
Agora externavam a dor da confusão.
Como última despedida resolvi te olhar, antes de seguir o meu caminho.
Vi novamente aqueles olhos me dizendo coisas que jamais conseguirei entender.
Eles me falavam de amor...
Porém a despedida era a atitude visualizada.
Quem sabe um dia seja diferente...
Você se foi e eu fiquei sem uma parte de mim.
Mas o que guardei de você é o que me faz jamais te esquecer.

Imagem retirada do blog: umaadolescentemtodoida   

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Comunicado sobre o livro Escola de um Destino

Queridos amigos, leitores, blogueiros parceiros e apoiadores, venho através dessa nota comunicar-lhes que já não faço parte do quadro de autores da Editora Livros Ilimitados. E que minha obra “Escola de um Destino” não mais estará disponível por essa editora. Agradeço a todos que adquiriram o livro e que ajudaram a transformar o meu sonho em realidade. O primeiro livro é um filho que sempre estará comigo. Mas que ficará fora do mercado por um período para que seja reformulado, terá nova capa, nova diagramação, nova revisão e com certeza farei de tudo para deixá-lo melhor. Peço a compreensão de todos. No momento o foco é o novo livro, farei o lançamento e somente depois irei me dedicar à nova edição de “Escola de um Destino”. Forte abraço para aqueles que sempre estiveram comigo, de verdade.

Sidney Santborg


sexta-feira, 15 de abril de 2016

SINOPSE - (ANAMNESE - Um Louco Coração)



SINOPSE

O amor é uma espécie de loucura ou o único caminho para a sanidade?
Um trauma sofrido. Uma emoção reprimida. Um pai distante.
Aos 34 anos, após seus sentimentos serem diagnosticados e definidos como fora dos padrões aceitos pela sociedade, Ricardo decide buscar ajuda psicológica. O que ele não sabia é que toda sua história seria investigada e suas feridas expostas em uma profunda ANAMNESE. Seu coração teria enlouquecido desde a infância, quando descobriu uma paixão avassaladora e transformadora, ou na chegada de Kamilah e o despertar para o verdadeiro amor?
Uma história de amor e de intensos desafios reconstruída por meio de uma ANAMNESE.

Capa: Natyelle Pinho

domingo, 15 de novembro de 2015

Seja Estrela...




















Texto: SEJA ESTRELA...
Autor: Sidney Santborg

Quando não se vê perspectiva para o que se busca.
E o silêncio é o argumento para o seu questionar...
O coração exterioriza nos olhos tristes a sua dor.
E as lágrimas que caem são o desabafo da alma...
Não há como negar que as vontades são malditas.
E o sopro do que vem a sua mente são espectrais.
Os murmúrios fantasmagóricos querendo te levar...
E te fazer acreditar que, o que pensou nada será.
Somente desatinos da mente viciada em iludir-se.
Um prazer autofágico que te transforma em morto.
Como escravos de desejos insanos e destruidores...
Fazendo-te prostrar-se perante a sua insignificância.
De repente um sopro diferente... Parecendo gelado!
Trazendo-te um cobertor frio aos seus pelos eriçados.
E ao mesmo tempo um calor de uma chama interior...
Arrepios! Fortes arrepios te dizem que algo te tocou.
Mas não da forma habitual... É uma sensação interior!
Algo diferente transformando a sua consciência morta.
Trazendo água às nascentes dos rios antes sem vida...
E as lágrimas que rolam são doces contentamentos...
A luz se acendeu e aquele obscuro tempo se foi...
E no horizonte a perspectiva de um longo caminho.
Mas com um lindo Sol cintilante te conduzindo de dia.
E uma bela Lua te saudando e te iluminando à noite...
Astros do Céu te mostrando o que fazer da sua vida.
Despertando-te para a sua importância neste ciclo vital.
Fornecendo-te a energia para também brilhar e conduzir.
Seja Estrela e faça a diferença na vida de alguém...

Imagem: www.barbarabraga.com

domingo, 20 de setembro de 2015

Coração Roubado














Texto: CORAÇÃO ROUBADO
Autor: Sidney Santborg

Ainda lembro como tudo aconteceu...
Ela estava sozinha sentada em uma praça.
Preocupei-me porque a vi chorar...
Estava tão frio e era alta madrugada.
Eu passei por ela, mas resolvi voltar...
Queria saber, por que estava lá?
Sem me olhar, nada respondia...
Eu insistia e voltava a questionar.
O silêncio era a resposta que eu ouvia.
Cansei e disse que tinha de deixá-la.
Entre soluços me disse para ficar...
Porque com ela ninguém se preocupava.
Seu peito estava sem um coração...
E sua alma na escuridão vagava.
Sentei do seu lado e ela esboçou reação...
Levantou a cabeça e enxugou as lágrimas.
Vi a bela mulher que na tristeza se escondia.
Olhos marcados por delineadores borrados.
Cabelos despenteados que ela tentava arrumar.
Confessou que não queria voltar para sua casa.
Pois a traição tinha destruído o seu lar...
Tinha encontrado o marido com a melhor amiga.
E isso ela não ia suportar, pensou até em se matar.
Segurei sua mão e disse que ele não a merecia...
Muito menos o sacrifício que ela pretendia.
Passei horas escutando o seu desabafo...
Busquei palavras benditas para confortá-la.
E em alguns momentos percebi um leve sorrriso.
Eu imaginava que havia levado luz à sua alma.
Mas do nada, um cara armado se aproximou...
Exclamando em alta voz: muito bem vagaba!
Ela se levantou e a ele se juntou...
E logo a ouvi dizer: perdeu playboy!
Levaram-me tudo... A tristeza agora era minha!
No lugar ermo e escuro eu me encontrava.
E o coração que ela havia perdido foi substituído.
Porque meu peito estava vazio e minha alma chorava.

Imagem: pedro-bial.tumblr.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

EU APOIO!

Vídeos referentes a Sidney Santborg

Loading...