segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Sedução Fatal
















Texto: SEDUÇÃO FATAL
Autor: Sidney Santborg

A noite chegou e com ela veio a certeza que iria te encontrar...
Não havíamos combinado nada, nem data, nem local ou horário.
Mas inconsciente, eu aguardava o momento de te abraçar e beijar.
Não me recordo de tê-la visto antes... Porém sabia que iria te ver!
Ia por ruas desconhecidas com a expectativa de chegar até você.
Era como uma força me levando, não sentia os meus pés no solo,
Parecia flutuar sobre uma densa névoa que me arrastava à cidade.
Sinceramente, eu não conseguia compreender esse acontecimento.
De repente, a névoa se desfez e senti o solo sob os meus pés...
Fiquei parado observando tudo. Aquele lugar eu não conhecia,
Contudo, algo dizia a minha mente que era ali que te encontraria.
Tudo parecia tão confuso e ao mesmo tempo o óbvio se mostrava!
Em pouco tempo vi você aparecer sedutora e cercada de mistério.
Não a vi de onde veio, apenas percebi sua presença junto a mim...
Foi como se tivesse atravessado um portal que se abriu de repente.
E com um abraço fiquei inteiramente entregue aos seus encantos,
Seu cheiro era como uma droga inebriante e tomava conta de tudo,
Senti minhas forças se esvaindo e a resistência do corpo se findando;
Meu sangue parecia circular de forma acelerada para fora da carcaça.
Senti em minhas extremidades a frieza congelante daquela noite...
Estava desfalecendo ali completamente enganado pela sedução
Da beleza da fera hematófaga que se alimentava da ingenuidade
Dos que acreditavam no amor e mantinham a pureza do coração.

Imagem: guildanjosnoturnos.wordpress.com

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

O Despertador de Mim

















Texto: O DESPERTADOR DE MIM
Autor: Sidney Santborg

Tic-tac, tic-tac, tic-tac... Assim me diz aos ouvidos.
O barulho do relógio está me dando nos nervos...
Deitei para dormir e não consigo. Só pensamentos!
Eles vêm como avalanches destruindo tudo em mim.
Fico revendo o passado em minha mente. Viajando!
Tic-tac, tic-tac, tic-tac... Interrogações me consomem.
Como poderia ser? Como seria se? E se talvez eu...
Tivesse, pudesse, fizesse, agisse... Será que? Não sei.
Também não quero saber! E nem poderia...  Se foi!
O que ficou para trás não tem razão de estar em mim.
Principalmente tirando o meu sono querendo voltar.
Tic-tac, tic-tac, tic-tac... Chega de ficar pensando!
Não vou alimentar sentimentos que me destruíram...
Não vou recordar emoções que me trouxeram dor...
Quero um novo sonho... Algo que alimente a alma!
Algo que me fortaleça o espírito e algo que desperte
Um sentimento novo e uma nova visão do mundo...
Tic-tac, tic-tac, tic-tac... Assim dizia o meu relógio!
De repente, não ouço mais barulho, aquele som parou.
Eu não estou pensando mais no passado, vivo o futuro.
Sinto seu cheiro, te tenho comigo, os dias são coloridos!
A gente está junto, sorrindo do nada e falando de tudo...
Correndo nos campos e viajando pelo mundo, a sós!
Tic tac, tic tac, tic tac... Novamente ouço o relógio.
Abro os olhos e você não está aqui juntinho a mim.
O silêncio do quarto me diz que voltei ao presente.
E os pensamentos já voltaram a povoar minha mente.
Não como lembranças, mas como desejos de dormir.
Para sonhar em encontrá-la de novo antes do amanhecer.
Tic-tac, tic-tac, tic-tac... Trimmmmm! Trimmmmmmm!
Infelizmente, não aconteceu... O relógio já despertou.
É hora de levantar e viver o presente buscando o sonho.
O futuro que é real e que está além do meu imaginário.
Guardado na alma e plantado dentro do meu coração.

Imagem: res-publica.com.ua

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Sentimentos Distantes

















Texto: SENTIMENTOS DISTANTES
Autor: Sidney Santborg

Chega um momento que a distância torna-se maior.
Os sentimentos vão sendo arrastados por um vento.
Como as folhas do outono que caem e são levadas.
Deixando uma linda árvore totalmente descoberta...
O inverno logo chega e a friagem toma conta de tudo.
Congelando o coração que ansioso quer se aquecer.
Ele se comunica com a mente e os pensamentos vêm.
Como as lembranças de um cenário de primavera...
Uma mentira para suportar o frio em dias de calor.
As flores são visualizadas, porém sem perfumes.
As cores existentes são invenções do inconsciente.
A saída é mudar a direção e prosseguir na caminhada!
Porque no caminho as pegadas são deixadas para trás.
Na estrada os rastros dos fracos passos não são vistos.
A distância agora mostra um horizonte desvendado...
E o que está por vir é um novo horizonte a desvendar.
Às vezes, o que passa em nossa vida é só para observar.
Como a paisagem vista de longe que não se pode tocar.
Mas fica o registro do que foi visto pelas janelas da alma.
E assim acontece com os sentimentos que se distanciam.
Eles foram vividos e serão lembrados como o passado.
Eles não ficaram, mas ajudaram a me aproximar de mim.

Imagem: babistargirlie.blogspot.com

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Olhos do Coração














Texto: OLHOS DO CORAÇÃO
Autor: Sidney Santborg

Um apagão... Tudo escuro!
Feito um eclipse no mundo.
E eu tentando recuperar a visão.
Até que um fio de luz me veio.
Era um feixe azul direto na retina.
Não via nada, só ouvi a sua voz.
Despertando-me os sentimentos.
Emoções trazendo sensações...
Transportando-me para outro lugar.
Distância conduzida por uma energia.
E telepaticamente unida pelo pensar.
Sua imagem reproduzia-se na mente.
Um louco desejo de te encontrar.
Através da ligação que te traz aqui.
De tão longe para perto de mim...
E me ensinou a ouvir antes de olhar.
A cada minuto de palavra trocada.
É como uma flecha atirada no alvo.
Um tiro certeiro do cupido cego.
Que perdeu a luz dos seus olhos.
Mas me fez enxergar com o coração.

Imagem: revistamarieclaire.globo.com

domingo, 28 de setembro de 2014

A Tormenta




















Texto: A TORMENTA
Autor: Sidney Santborg

Já sonhei muito...
E pensei em muitas coisas.
Porém elas só existiam em minha mente.
Vi a imensidão de um céu pintado de azul.
Mas a cor somente existia no meu coração.
Porque as nuvens pesadas já anunciavam.
O que estava por vir em cores acinzentadas.
Trovões e relâmpagos escureciam meu dia.
Contudo os meus olhos nunca viam...
Ou fingiam uma cegueira compelida.
Por um sentimento existente em mim.
E a tempestade apareceu como anunciada.
Despencou com uma enxurrada de lágrimas.
E eu me vi sem saber como me proteger...
Um estranho ali sem saber para onde correr.
Vendo um céu negro caindo sobre a cabeça.
Ouvindo o vento soprar e confundir a mente.
Um louco solitário em uma cidade abandonada,
Sem nenhuma alma viva ou uma alma fantasma.
Que pudesse vagar comigo pelas ruas alagadas.
Por isso tenho medo de sair sem a capa de chuva.
Se bem que para tempestade nem mesmo ela ajuda.
A gente se molha e se suja... O frio é a companhia!
Mas carregá-la junto comigo me dá uma segurança.
Pode ser um paliativo para me ajudar na mudança.
Do clima tempestuoso que se instalou em mim...

Imagem: galahadgnostica.blogspot.com

terça-feira, 16 de setembro de 2014

O Calabouço de Um Anjo














Texto: O CALABOUÇO DE UM ANJO.
Autor: Sidney Santborg

Tem dia que não estou nem para mim...
Nada do que tento fazer é capaz de me satisfazer.
Parece que existe algo tirando a minha alegria.
Como se uma dor existisse dentro do meu corpo.
Mas é tão covarde que não tem coragem de doer...
E fico sentindo um vazio, cheio apenas de silêncio.
Sensação estranha... Parece que a alma foi passear.
Não avisou e também não deixou nenhum recado.
Não sou culpado... Não sei dizer por que ela partiu.
Apenas sei que levou o meu sorriso e a minha luz.
O dia, embora esteja claro, não me sinto iluminado.
Meus olhos veem o mundo e não percebem poesia.
Meu corpo parece sustentado apenas pelo acaso.
Preciso de um lugar onde eu possa descansar...
O sono às vezes é uma espécie de porta de fuga.
Uma saída de emergência que me leva a viajar.
Incrível! Só fechar os olhos, eu começo a sonhar.
É um mundo diferente e eu voo sobre as nuvens.
Onde o sol aquece meu corpo e sinto minhas asas.
Elas batem com sincronismo e de forma acelerada.
A alma voltou e novamente estou no meu habitat.
Sempre a encontro de mãos dadas com o meu espírito.
Eles sempre fazem isso... Estão onde eu queria estar.
Mas estou ligado a este mundo e preso a um corpo.
Onde vim para cumprir uma missão ou um castigo.
Não me disseram nada... Apenas tiraram minhas asas.
A única coisa que sei, é que aqui me sinto um vilão.
Deram-me sentimentos que me destroem o coração.

Imagem: odoiporoi.blogspot.com

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Como Nascem os Poetas?
















Texto: COMO NASCEM OS POETAS?
Autor: Sidney Santborg

Uma sensação tomava conta de mim...
Como se holofotes clareassem o meu caminho.
Meus passos pareciam ser dados em nuvens.
E a alegria uma manifestação vinda da alma.
A paz no coração me fazia ouvir o silêncio.
E no vento a melodia de um lindo assovio...
As folhas bailavam em rodopios magistrais.
E os pássaros cantavam como em um coral.
Tudo equilibrado... Até o ar era perfumado!
Sentia-me em um campo cercado por flores.
Onde cada uma delas tinha um pouco de você.
Minha mente vagava por terras desconhecidas.
Mas me sentia um privilegiado por ali chegar.
Eu estava encantado com a minha possibilidade.
Estava totalmente apaixonado por te encontrar.
Tive tantas oportunidades de falar o que queria.
Tive tanta vontade de dizer o que eu sentia.
Contudo me calei. A timidez nublou o meu céu.
O azul ficou acinzentado e eu sofri calado.
Mesmo com frases ensaiadas e textos decorados.
Minha boca não conseguia externar o que pensava.
Eu falava só para mim... Só eu ouvia minha voz.
Até que um dia você partiu. Foi para outro mundo.
Não conheceu o mundo que eu construí em mim...
Foi para aquele que teve a coragem de se declarar.
Meus olhos lacrimejaram e o coração triste gritou.
Porém, minha boca nunca murmurou sofrimento.
E hoje aprendi a me declarar em silêncio...
Somente minhas mãos falam de sentimentos.
Aqueles descritos pela minha voz interior.
Vindos do coração, seja de alegria ou de dor.

Imagem: belmontepe.blogspot.com 

domingo, 17 de agosto de 2014

Desejos
















Texto: DESEJOS
Autor: Sidney Santborg

Momento em que os olhos se alegram.
Um colírio para limpar as vistas...
A imagem torna-se a mais bela visão.
Um sentimento aquece o sangue nas veias.
O coração começa bater aceleradamente.
E a mente a imaginar coisas... Boas!
Desejos insanos que corroem por dentro.
Desejos ardentes que queimam a carne.
E a fuga parece ser o melhor controle.
Os olhos já tentam se desviar...
Mas hipnotizados seguem a direção.
Não é nada correspondido de fato.
Algo apenas sentido do íntimo corporal.
O corpo pega fogo e as extremidades gelam.
Frio, arrepio, calafrio, descarga elétrica...
Calor! Um vulcão prestes a explodir.
Necessário conter os ânimos evidentes.
Pois o constrangimento está sob as vestes.
Constatação de que existe algo forte!
Algo a vencer, a temer ou a esquecer.
Foi uma emoção que tomou conta de mim.
Foi só uma sensação que o corpo desejou...
Foi só a mentira que meu cérebro inventou.
Foi só uma excitação que já broxou...
E motivo disso tudo, foi ela quem passou.

Imagem: magiaft.blogspot.com

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Engano do Coração














Texto: ENGANO DO CORAÇÃO 
Autor: Sidney Santborg

Nem um toque, nem um gesto.
Vai me fazer mudar...
Se te vejo, te desejo.
Mas isso eu vou controlar.
Sei que é difícil.
Mas vou tentar...
O que não posso é esperar.
Por um dia que não vai chegar...
Se me olho no espelho.
Eu já consigo me ver...
É um reflexo diferente.
Pois antes só via você.
Promessas e juras ficaram para trás.
O que eu queria, já não quero mais.
Agora não importa se vai existir,
O meu caminho eu vou seguir.
Vou viver o que não vivi.
Conhecer o que não conheci.
Aprender o que não aprendi...
Vou morrer para você.
E renascer para mim.
Liberto de uma ilusão.
E de um engano do coração.

Imagem: willmandinny.spaceblog.com.br

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Miragem no Deserto














Texto: MIRAGEM NO DESERTO
Autor: Sidney Santborg

O encontro que possibilita uma modificação.
Uma mudança de postura diante do mundo...
Não o dos outros, mas o que existe em você.
Aquele que muda as suas ações e te conduz.
Quando se busca incessantemente pelo alvo.
Passa a não perceber que a defesa é importante.
É necessário se resguardar da ilusão de ótica.
Porque se abrir a guarda, o ataque será fatal.
A armadilha vem como um laço sufocador.
Atingindo justamente naquela sua fraqueza...
Onde a satisfação e o prazer lhe encantam.
Dando uma sensação de que aquilo é ser feliz.
Conceito incorporado pelo mundo dos outros.
Mas negado por aquele que está dentro de você.
Os valores de concreto se transformam em poeira.
E o vento a leva para longe, onde tu não podes ver.
Seu mundo fica em pedaços e teu coração chora...
Não deixe que o mundo dos outros interfira no seu.
Não negue o seu mundo para viver o que não é teu.
Não deixe de acreditar na sua verdade, a que te guia.
Para viver a miragem no deserto, onde nada existe.
Onde o caminho é um engano e te conduz à areia.
                                    
Imagem: http://desenhistalourival.blogspot.com.br

domingo, 8 de junho de 2014

A Caça e O Caçador
















Texto: A CAÇA E O CAÇADOR
Autor: Sidney Santborg

Um instinto me leva a adentrar a densa multidão...
Não posso visualizar ainda o que será.
Mas meu coração me diz o caminho a seguir.
Vejo-me cercado pelos anseios e desejos...
E meus olhos percorrem a minha volta.
Porém, tudo permanece na mesma...
Estou devidamente atento e à espreita de um sinal.
O momento certo para garantir o esperado.
Quem sabe o que de fato vai acontecer?
O tempo passa frustrando a minha espera.
Ao que parece, nada acontecerá...
Busco alcançar o horizonte e vejo uma luz.
Algo está se mexendo por lá, bem longe.
Estou em meio às idas e vindas dos sem direção.
De repente aparece-me você vestida para matar.
Como se avisasse que chegou para caçar.
E a presa do dia sou eu, o caçador.
Que a esperava para lhe acertar...
Mas fui pego pela mira do seu olhar.
Que acertou em cheio o meu coração...
Fui vítima da devoradora de sentimentos.
A caça e o caçador, destinos traçados pelo amor.

Imagem: http://valdecyalves.blogspot.com.br

sexta-feira, 11 de abril de 2014

A Batalha













Texto: A BATALHA
Autor: Sidney Santborg

Quando se está querendo conquistar algo.
E este querer gera uma expectativa de viver
A forma idealizada daquilo que pode existir.
Já sente o final feliz dos contos de fadas...
Mas parece que a bruxa má é a vilã realidade.
Que bombardeia a vida como em uma guerra.
Querendo fazer acreditar que tudo é fantasia.
Em alguns momentos você parece entregar-se.
O corpo padece e o coração chora de aflição...
Porém, a ave transformadora renasce das cinzas.
Renovando o sentimento que parecia esgotado.
E a energia toma conta do corpo dando-lhe força.
Rapidamente vem o desejo de voltar a erguer-se.
Os passos novamente o conduzem a um caminho.
Todavia, esse percurso só é feito por guerreiro.
O cavaleiro treinado para a batalha da vida.
Que com sua espada na mão enfrenta a fera.
Aquela que quer te impedir de chegar ao topo.
Que lança o fogo do desânimo para te deter.
O dragão que está entre você e o seu sonho...

Imagem: www.reddit.com

segunda-feira, 17 de março de 2014

Amor, a Alma do Corpo















Texto: AMOR, A ALMA DO CORPO.
Autor: Sidney Santborg

Mais um dia começou e eu fiquei aqui...
Mais um dia terminou e eu estou assim...
Sem saber que caminho seguir...
Parado, sem saber para onde ir...
Esperando respostas que nunca vêm...
Esperando alguém que não sei se vai existir.
Dizem que “todo pé cansado tem um chinelo velho”.
Dizem que “toda tampa tem sua panela”.
Mas essa busca me cansa!
Cansa-me ver o mundo sem a poesia.
Cansa-me imaginar a musa inspiradora.
Cansa-me a verdade da arte mentirosa.
Cansa-me o grito sufocado pelo medo.
E aquela lágrima que não cai...
É aquela dor que não sai...
Deixando uma ferida interna.
Deixando oco meu coração!
Deixando o vazio em minha alma...
Quero a motivação para a poesia!
Quero a inspiração para a vida!
Quero a metade do meu coração!
Quero a alma para o meu corpo...
Eu quero encher-me de amor.
E não vagar pelo mundo sem direção.
Como um espírito perdido nas trevas...
Em busca da luz para a sua salvação.

Imagem: cleofas.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

EU APOIO!

Vídeos referentes a Sidney Santborg

Loading...