sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Momentos Felizes

MOMENTOS FELIZES
Sidney Santborg

Não acredito em viver feliz pra sempre, mas acredito que a vida é cheia de momentos felizes e marcantes. O que devemos saber é aproveitar cada um desses momentos.
Como é dito pela sabedoria popular: "Viva hoje, o agora, pois o passado é uma história e o futuro pertence a Deus.".
Só não faça do hoje o último dia de sua vida, seja prudente e sábio para que a cada dia, o "hoje", o "agora", seja cheio de MOMENTOS FELIZES.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Música: O silêncio

Letra: O SILÊNCIO – Folk Rock - Escrito em 03/03/2011
Autor: Sidney Santborg

Bater a porta...
Bater a porta...
E ver o silêncio chegar.
E ver o silêncio chegar.

Depois de um dia de trabalho
Pegar assim o ônibus lotado.
Sentir a multidão me sufocar.
Fecho os olhos e logo penso.
Chega de tanta confusão.
Pessoas falando sem parar...
Meu Deus, que vontade de chegar!

Bater a porta...
Bater a porta...
E ver o silêncio chegar.
E ver o silêncio chegar.

Tudo que eu quero é.
Encontrar o meu lugar.
Onde não possa ser interrompido.
Por barulho do homem animal.
Pelo uivo de um cão vegetal.
Achar um lugar pra descansar.

Bater a porta...
Bater a porta...
E ver o silêncio chegar.
E ver o silêncio chegar.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Música: Na Contramão

Letra: NA CONTRAMÃO – Folk Rock escrito em 04/04/2010
Autor: Sidney Santborg

Na contramão desse sistema.
Eu vou buscar minha alegria.
Chega de tanto teorema.
No mundo de tanta teoria...

Vou seguindo por caminhos.
Tentando me achar.
São tantos planos, tantos sonhos ou ilusões...
Tem pesadelos querendo me levar.
Mas eu não desisto não.
Eu não desisto de buscar.

Na contramão desse sistema.
Eu vou buscar minha alegria.
Chega de tanto teorema.
No mundo de tanta teoria...

Eu vou fazer o que quiser.
Eu vou nadar contra maré.
Conquistar o que eu quero pela fé!
Mas se eu não conseguir.
E no sonho submergir.
Tentarei me adequar.
Buscando ar pra respirar.
Porque eu não desisto não.
Eu não desisto de buscar.

Na contramão desse sistema.
Eu vou buscar minha alegria.
Chega de tanto teorema.
No mundo de tanta teoria...

sábado, 26 de novembro de 2011

Desatino

Texto: DESATINO - Escrito em 10/09/2010
Autor: Sidney Santborg

Busco tentando achar.
Mas eu não consigo enxergar...
Até em lugares que eu nem sei.
O que estou fazendo lá.
Não, não me pergunte!
Eu não sei dizer.
Não, não é normal...
Ter e depois te perder.

Será que você existe?
Assim, como eu imagino.
Será que você existe?
É real ou um desatino.

E quantas vezes eu saí.
Sem destino buscando um lugar.
E quantas pessoas legais eu achei.
Mas você não tava lá.
Não, não me pergunte!
Eu não sei dizer.
Não, não é normal...
Ter e depois te perder.

Será que você existe?
Assim como eu imagino.
Será que você existe?
É real ou um desatino.

sábado, 19 de novembro de 2011

Pura Ignorância

Texto: PURA IGNORÂNCIA! –  Escrito em 04/04/2010
Autor: Sidney Santborg

É pura ignorância!
Pura discrepância de um ser.
Que vive tentando se esconder.
Fingindo que é muito feliz.
E o sorriso esconde a cicatriz.
De um coração que ferido está.
E não consegue se curar...

É pura ignorância!
Viver dizendo que não dá.
Viver tentando escapar.
Prisioneiro da sua própria vida.
Busca sempre achar uma saída...

É pura ignorância!
Deixar a mentira se tornar.
A verdade que não quer se revelar.
Deixar o fantasma prevalecer.
E a acusação te enlouquecer...
Por ter desistido de sonhar.
E fugido antes mesmo de tentar...

É pura ignorância!
Pura discrepância de um ser.
Que vive tentando se esconder.
É pura ignorância!
É pura ignorância!

sábado, 12 de novembro de 2011

Juntos

Texto: JUNTOS –  Escrito em 29/11/2003
Autor: Sidney Santborg

Existem momentos na vida.
Que devemos tomar uma decisão...
Não sabemos se pode dar certo.
Ou se tudo já começou errado?
O que não podemos enganar é o coração...

Juntos, a gente vai viver!
Juntos, a gente vai crescer!
Juntos, eu e você...

Sei que o vento pode até soprar.
Mas sei que nada vai nos separar!
Porque juntos estamos.
Juntos caminhamos.
E juntos vamos ficar!

Juntos, a gente vai viver!
Juntos, a gente vai crescer!
Juntos, eu e você...

domingo, 6 de novembro de 2011

Música: Migalhas

Letra: MIGALHAS – Reggae -Escrito em 07/06/2009
Autor: Sidney Santborg

Não quero migalhas.
Desse seu amor...
Pra mim é muito pouco.
Pra aliviar a minha dor...

Quando você quer.
Vem me procurar.
Mas quando to a fim.
Você nunca está...
E eu fico tentando te achar.

Quando liga pra mim.
Não dá pra identificar.
ID tá bloqueado!
Ou do orelhão liga a cobrar...
E eu sigo tentando te achar...

Não quero migalhas.
Desse seu amor...
Pra mim é muito pouco...
Pra aliviar a minha dor.

Como eu deixei...
Isso acontecer!
Não, não é possível...
Querer me envolver.
Se na verdade nunca tive você!

Não, não é possível.
Ter você assim...
Como é possível.
Ter você perto de mim?
Se eu nunca consigo te encontrar!

Por isso chega de migalhas!
Desse seu amor...
Pra mim é muito pouco!
Pra aliviar a minha dor...

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Quando você me apareceu.

Texto: QUANDO VOCÊ ME APARECEU  - Escrito em  05/08/2001
Autor: Sidney Santborg

Triste sem ter carinho...
Querendo tanto, tanto ter você aqui...
Foi quando você me apareceu...
Foi como o sol na escuridão.
Fez o meu coração estremecer.
Fez o amor renascer em mim...
Você me fez viver grande emoção.
Sair de toda depressão.
E descobrir o que é o amor...

Por isso não estou mais sozinho.
Por isso eu preciso do seu carinho.
Quero tanto ter você.
Quero tanto ter você aqui...

Quando você me apareceu...
Eu logo vi que era o amor.
Que renascia assim em mim.
Que me fez ver as coisas belas da vida...

Por isso eu preciso de você.
Por isso quero seu amor...
Não importa o que os outros vão pensar...
Eu quero é estar contigo.
Aqui, ali, ou seja, onde for...

Por isso não estou mais sozinho.
Por isso eu preciso do seu carinho.
Quero tanto ter você.
Quero tanto ter você aqui...

Quando você me apareceu...
Tão rápido saí da depressão.
Minha vida modificou.
E o meu coração...
Hoje chora de tanta alegria.
Chora de tanta emoção.
Porque encontrou.
Um outro coração...

domingo, 23 de outubro de 2011

Música: Distraído

Letra: DISTRAÍDO - Rock - Escrito em 17/04/09
Autor: Sidney Santborg

Distraído!
Sempre assim tão distante...
Distraído!
No meu mundo tão inconstante...
Onde eu vou parar?
Se eu não me ligar!
Onde eu vou chegar?
Se eu não me ligar!
Não venha me contar...

Não quero saber, o que vai dizer dos meus erros!
Não quero saber, o que vai dizer dos meus defeitos!
Nem quero saber, o que vai pensar dos meus planos!
Nem quero saber, o que vai pensar dos meus enganos...

Não venha me contar suas histórias...
Não venha me falar das suas vitórias.
Quero seguir o meu caminho,
Sozinho encontrar o meu destino.


Se for pra perder ou pra ganhar...
Não quero que venha me guiar!
Se for pra subir ou pra descer...
Eu não vou seguir você!

Prefiro continuar no meu mundo.
Mesmo sabendo que ele muda em um segundo.
Mas a distração é minha fuga.
Dessa realidade absurda.
Por isso quero ficar...

Distraído!
Sempre assim tão distante...
Distraído!
No meu mundo tão inconstante...
Onde eu vou parar?
Se eu não me ligar!
Onde eu vou chegar?
Se eu não me ligar!
Não venha me contar...

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Flores murcham e caem!

Texto: FLORES MURCHAM E CAEM!–  Escrito em 09/04/2009
Autor: Sidney Santborg

Você está sempre inventando desculpas.
Mas comigo isso não cola mais!
Depois vem com esse seu jeito.
Achando que tudo são flores...
Que com um carinho.
Um simples beijinho.
E tudo voltará ao normal...
Eu te digo,
Que as flores murcham e caem!
Flores murcham e caem!

Porque nem tudo são flores!
Eu não quero flores!
Flores murcham e caem!
Flores murcham e caem!

Você tem que aprender.
A pensar no que faz!
As rugas no seu rosto te dizem.
Quanto tempo já se passou...
E você não cresceu.
E nada aprendeu...
Vive com o coração.
Cheio de ilusão!
Você tem que despertar.
Deste sono que te cega!
E te faz errar.
Te leva a acreditar.
Que tudo é tão simples...
E a achar que tudo são flores.
Em relação a nós!

Flores! Eu não quero flores!
Nem tudo são flores!
Flores murcham e caem!
Flores murcham e caem!

Já se foi o tempo.
Em que eu aceitaria.
Toda aquela situação.
E tudo o que você dizia!
Hoje não sou assim...
Eu me libertei!
Não dependo de ti.
Criei asas e voei!
Envergonho-me de tudo que passei...
E das vezes que chorei.
Lamentando a sua falta.

Agora não quero mais flores!
Porque nem tudo são flores!
Flores murcham e caem!
Flores murcham e caem!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Minha Indignação!

Venho comentar uma matéria exibida por uma emissora brasileira de televisão, em que um garoto de 7 anos de idade foi covardemente agredido pelo pai e obrigado a ir para a escola com as unhas pintadas. O motivo, segundo a criança, que mostrou os hematomas em todo o corpo e as unhas pintadas, seria simplesmente porque cantou no banheiro ao tomar o seu banho. O covarde, que infelizmente é o pai, por achar que “cantar no banheiro é coisa de bicha” retirou a criança do banheiro,  o agrediu e pintou suas unhas, como castigo por cantar e expressar sua alegria.

Lamentável que esse tipo de coisa aconteça! Um monstro desse que impede a alegria de uma criança por puro preconceito, ainda pode, além da violência física e psicológica, matar os sonhos de uma vida, que só está iniciando.

Minha indignação nesse caso, além da violência sofrida pela criança, consiste em que,  de certa forma, me senti ofendido com tal declaração desse senhor, que obviamente tem retardo mental, é um néscio que mereceria todas as palavras de baixo calão, que a educação me impede de citar. Pois, muitos dos textos e letras de músicas que escrevi fiz cantando no banheiro ao tomar meu banho. É estranho? Pode parecer... Mas cada pessoa tem sua forma de buscar sua inspiração, depende da individualidade de cada um.

A forma de externar nossa capacidade criativa é diversa, assim como a forma que a inspiração vem. Se podarmos essa inspiração por preconceito, por achar que um banheiro não é local adequado, ou por achar que não faz parte do universo másculo, é impedir que a cultura se manifeste, é impedir que um dom se desenvolva, é matar a capacidade artística  ou intelectual que poderia advir, se não fosse uma atitude repressora e covarde de um mentecapto.

Fica aqui meu repúdio a toda forma de violência física ou psicológica a uma criança e a toda forma repressora de conter o nascimento de uma atividade cultural!                                                                                                     

domingo, 25 de setembro de 2011

Música: Já Tentei... (Oração do desespero)














Letra: JÁ TENTEI – Rap - Escrito em 01/ 04/2009
Autor: Sidney Santborg

Já pensei em ir.
Para longe daqui...
Já pensei em mudar.
Para um novo lugar.
Mas na hora “Agá”.
Eu desisti de tudo.
Porque não sabia.
Onde eu queria chegar...
Tento descobrir.
Tento me achar.
Tão longe eu estou.
E não consigo voltar...

Já tentei sair!
Já tentei ficar!
Já tentei fugir!
Já tentei voltar!
Pai, já tentei mudar...
Mas eu não consegui.
E então, eu decidi te contar...

Pai, minha vida é assim...
Sempre sem saber.
Espero o que vai ser.
Não sei se está bom.
Ou será que está ruim?
Não sei por que razão.
Que eu sou assim.
Gosto e não gosto.
E volto a gostar.
Amo e não amo.
E volto a amar.
Quem é que me entende?
Quem é que pode me ajudar?
Porque essa minha rotina.
Transformou-se em sina...
E eu não quero me perder.
Para somente depois me encontrar...

Já tentei sair!
Já tentei ficar!
Já tentei fugir!
Já tentei voltar!
Pai, já tentei mudar...
Mas eu não consegui.
E então, eu decidi te contar...

Imagem: http://andreluizfreitas.zip.net

domingo, 18 de setembro de 2011

Sonhar, acreditar e conquistar

Texto: SONHAR, ACREDITAR E CONQUISTAR
Autor:  Sidney Santborg

Muitas vezes sonhamos e poucas vezes acreditamos; os pessimistas dizem desista! E rapidamente assimilamos. Passamos a sufocar aquilo que nos deixa feliz e desistimos de tentar. A mentira passa ser a verdade e nós os covardes, vivendo infelizes e frustrados, porque tivemos medo de sonhar.

domingo, 11 de setembro de 2011

Lançamento "Escola de um Destino" na XV Bienal do Rio de Janeiro


O dia começou muito cedo... Na verdade, bem mais cedo do que os de costume. Estava um pouco ansioso, vivia uma grande expectativa como de um pai, que está a poucas horas de ouvir o choro do seu filho, de pegar no colo e dizer: filho há quanto tempo te esperei, sonhava contigo... E não via a hora de isso acontecer! Era assim que estava me sentido... Meu coração ansioso batia em um ritmo acelerado.


No percurso até o Riocentro, local da Bienal, os pensamentos povoavam a minha mente, era um sonho chegar àquele lugar, não fisicamente falando, mas como um nome que teria o seu destaque em um dos maiores eventos do gênero no Brasil. Quando cheguei me deparei com aquela fila enorme... Muitas pessoas sob o sol aguardando os portões serem abertos e realmente entrarem no mundo da literatura, não só pela grandiosidade do local, ou pela importância do evento em si, mas devido à quantidade de livros expostos... Era fascinante poder participar daquilo tudo.

Fui muito bem recebido pelos representes da Editora Livros Ilimitados que fizeram de tudo para que me sentisse à vontade. Estava realmente dando início ao sonho, o estande estava montado, tudo perfeitamente adequado ao que se seguiria, ou seja, o lançamento em si... Rapidamente peguei meus filhos (os livros) e disse "filhos papai chegou!".

Então, tomei o meu lugar junto à mesa e aguardei... Pronto, começava ali a minha realização... As pessoas vinham ao meu encontro, elas estavam curiosas para saber sobre o livro e eu querendo dar todas as informações possíveis. A conversa em si, as trocas de experiências, a dedicatória com o autógrafo, tudo me deixava feliz! A alegria tomava conta de mim... Nervosismo e ansiedade nem lembrava... Não era mais uma expectativa, era real! O sonho se transformava em realidade... Por várias vezes me emocionei ao ver os amigos, fazer amigos, cativar os leitores, tirar fotos, tudo foi perfeito! Só faltaram meus pais para a festa ficar completa... Não puderam estar presentes, mas estavam em meu coração.

Conhecer outros autores e trocar informações e livros foi muito prazeroso. Tive a oportunidade de receber um livro com dedicatória da apresentadora do programa Casseta e Planeta, agora escritora Maria Paula, que fiz questão de retribuir o carinho presenteando com um dos meus exemplares, momento registrado por muitos jornalistas. Tive ainda o prazer de estar com uma das maiores escritoras do público adolescente no Brasil, Thalita Rebouças, que já vendeu mais de um milhão de exemplares, e que elogiou o título "Escola de um Destino" e também teve o seu exemplar, momento também registrado que guardarei com muito carinho.

A festa foi completa, definiria como um sucesso, pois ainda tive a honra de poder dividir em outro horário a mesa com a escritora, atriz e humorista da Rede Globo, Ana Guerreiro e o seu livro "A princesa das Areias", momento também registrado com muito carinho! Pude ainda contar com presença de Gabriel "O Pensador" que passou rapidamente em nosso stand para nos cumprimentar... Uma pena, mas isso não foi registrado em fotos.

Tudo isso foi uma grande experiência que sempre vou lembrar e me motivar cada vez mais na busca daquilo em que acredito, sei que vale a pena sonhar, perseverar, lutar, correr atrás daquilo em que se quer, pois o nosso momento chega, as coisas acontecem quando se tem comprometimento e uma meta estabelecida em nossa vida.


Sei que é só o início, tenho um caminho a trilhar, mas aquela criança de outrora, sonhadora do interior do Maranhão, hoje um homem, tem certeza que o sonho que Deus planta em nossos corações não morre jamais, basta acreditar!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Sobre o Livro: "Escola de um Destino"



O autor narra a história de quatro jovens nordestinos que tiveram a oportunidade de estudar em uma grande escola e de se tornar grandes profissionais... Mas ao chegar ao Rio se deparam com uma realidade até então somente vista pela televisão. Muitos foram os desafios e as barreiras enfrentadas por eles. A história tem como cenário as dependências da escola e do alojamento. Cada personagem é dono do seu caminho e seus destinos serão traçados de acordo com as decisões tomadas. O livro é também uma crítica ao comportamento dos jovens que para chegar a algum lugar tem que haver dedicação e comprometimento com o estudo, pois se não partir deles a vontade de crescer profissionalmente, não tem governo, não tem escola e nem ninguém que possa tirá-los da situação em que se encontram. Tudo isso em uma linguagem escrita de jovem para jovens, onde as drogas, a violência, a prostituição e o tráfico de drogas se fazem presentes, dentro e fora da escola.

"Com o livro Escola de um Destino o leitor ganha combustível para buscar a realização de seus sonhos e enfrentar os percalços apresentados no decorrer da vida. Em um universo de poucas oportunidades, o esforço e a dedicação os levam a uma realidade até então apenas vista pela televisão. Mas será que esse novo mundo pode modificá-los? Será que as más influências podem corromper aqueles que têm uma meta na vida? O início é duro, sair do convívio da família e da cidade para estudar em uma grande escola, onde todos os dias se faz necessário uma prova de força de vontade, superação e comprometimento com o estudo, pois os fracos se deixam levar... Mergulhando em abismos que os afastam do sonho e do foco principal."

O objetivo do livro é atingir jovens não habituados à leitura, como forma de incentivá-los no desenvolvimento de tal hábito, por isso uma narrativa direta. Sem priorizar a descrição de forma a detalhar sentimentos, reações, locais e diálogo de cada personagem. Para que não se tornasse um livro com muitas páginas. Uma vez que, se isso acontecesse, perderia o objetivo inicial.
Outro objetivo é levar o jovem à reflexão, sobre suas escolhas, sobre o seu comprometimento com o estudo e aquilo que se quer atingir, sem se deixar levar pelas más influências.
E como chamar a atenção de jovens que não gostam de ler? Que somente leem por imposição e livros totalmente fora de sua realidade, sem parecer chato. Buscando em fatos do dia a dia, de forma mais impactante, para prender sua atenção. A obra é uma ficção, mas tenho certeza que todos nós já nos deparamos com situações parecidas. Noticiadas pela mídia ou até mesmo citada por colegas e amigos.

Para jovens que desenvolvem a leitura de forma frequente, lendo livros de trilogias e distopias com linguagens complexas, esse livro não passa de um prólogo, mas para jovens que não detém essa habilidade, chegar ao final é uma conquista.

http://livrosilimitados.com/livros/auto-ajuda/escola-do-destino.html

CONFIRA AS RESENHAS FEITAS POR BLOGS LITERÁRIOS SOBRE O LIVRO:

http://glued.com.br/escola-de-um-destino/

http://www.entrelivrosblog.blogspot.com.br/2015/05/escola-de-um-destino-sidney-santborg.html

http://www.meninaquecompravalivros.com.br/2015/04/resenha-escola-de-um-destino.html

http://sherimendonca.blogspot.com.br/2014/09/escola-de-um-destino-por-sidney-santborg.html#comment-form

http://ciadoleitor.blogspot.com.br/2014/04/resenha-escola-de-um-destino-de-sidney.html

http://paginas-encantadas.blogspot.com.br/2014/02/resenha-escola-de-um-destino.html

http://exceptionss.blogspot.com.br/2014/02/resenha-escola-de-um-destino-sidney.html#comment-form

http://soubibliofila.blogspot.com.br/2014/01/resenha-88-escola-de-um-destino-sidney.html

http://www.sanguecomamor.com.br/2013/12/resenha-escola-de-um-destino.html#.UqW88tJDvpx

http://desbravadoresdelivros.blogspot.com.br/2013/11/resenha-escola-de-um-destino.html

http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/2013/11/v-behaviorurldefaultvmlo.html

http://belblogandocomavida.blogspot.com.br/2013/11/sobre-escola-de-um-destino.html

http://realityofbooks.blogspot.com.br/2013/10/resenha-escola-de-um-destino-sidney.html

http://leituradesenfreada.blogspot.com.br/2013/09/resenha-escola-de-um-destino.html





http://eomundoterminouemlivros.tumblr.com/post/58352939603/escola-de-um-destino-de-sidney-santborg


http://www.garotadolivro.com/2013/08/resenha-escola-de-um-destino.html


http://www.nicasdrafts.com.br/2013/07/resenha-escola-de-um-destino-sidney.html


http://www.magialiteraria.net/2013/06/resenha-premiada-escola-de-um-destino.html

Estarei sempre atualizando esta postagem de acordo com as resenhas que surgirem.


O livro está no SKOOB também, confira:
http://www.skoob.com.br/livro/316341-escola-de-um-destino

FAN PAGE do livro:
https://www.facebook.com/EscolaDeUmDestino?ref=hl

Aperitivo com o primeiro capítulo:
http://issuu.com/livrosilimitados/docs/escolaisssu/1

BOOK TRAILER




Divulgação do Blog CIA DO LEITOR





Opinião da Professora BEL FREITAS em seu blog BEL BLOGANDO COM A VIDA.


sábado, 27 de agosto de 2011

Música: O tempo passa

Letra: O TEMPO PASSA - Rock - Escrito em 07/06/2009
Autor: Sidney Santborg

O tempo passa...
Estou correndo atrás para entender.
Saber o que se passa.
Por que você se esconde e finge que não é você?
O tempo passa...
Fazer loucura perde a graça...
Porque o tempo passa... Passa!

A vida passa...
Mas nunca é tão tarde para perceber.
Que tudo foi um engano.
Trace logo outro plano para você...
O tempo passa...
Fazer loucura perde a graça...
Porque o tempo passa... Passa!

Porque nem todo dia é igual...
Porque a mudança é natural...
Se você quiser!
Se você tentar!
Tudo vai mudar...
Se você quiser!
Se você tentar!
Tudo vai mudar...

O tempo passa... Passa!
A vida passa... Passa!
Tudo passa! Passa...

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

O Brilho do Pássaro Celestial















Conto: O BRILHO DO PÁSSARO CELESTIAL
Autor: Sidney Santborg

Todo mundo reunido em uma comemoração, muitos amigos ao redor de uma mesa em um quintal iluminado pela lua e decorado por um céu estrelado. A alegria estava ali.
Foi quando de repente, eu olhei para o céu e percebi um bailado de pássaros brilhantes, cujo voo sincronizado lembrava um cardume de peixes tentando confundir e fugir do seu predador. A luz da lua parecia refletir em suas penas que eram prateadas e os faziam brilhar, mas na verdade era um brilho próprio, e não um reflexo.
Fiquei emocionado ao ver aquelas luzes vindo de pássaros no céu, como estrelas cadentes querendo mostrar que sabiam dançar.
Apesar de emocionado, e não menos espantado, quis dividir isso com os demais, apontei para o céu e todos puderam perceber a beleza dos pássaros abençoados e daquela dança celestial.
A alegria de todos diante de algo tão surpreendente era visível, porém se tornou medo quando de repente um daqueles seres se desgarrou dos demais e veio em nossa direção; a maioria correu em uma fuga desesperada, mas eu fiquei... Não tive medo de poder ver de perto algo tão maravilhoso que se estava vindo ao nosso encontro é porque tinha uma razão.
Então permaneci sentado, meio hipnotizado com o que estava acontecendo... Aquele pássaro brilhante chegou e resolveu pousar bem próximo de mim. E como em um filme de efeitos especiais, transformou-se em uma pequena garota de 30 cm e com asas, parecia a miniatura de um anjo. Era tão linda e brilhante, lembrava até uma personagem infantil de um conto de fadas.
De imediato, muitas pessoas ao nosso redor... Foi quando ouvi uma voz suave falando à minha mente, era como se tivesse com algum aparelho no ouvido, pois percebi que ela estava se comunicando comigo através de pensamentos; na verdade, transmitindo seus pensamentos a mim. Eu a ouvi dizer que seu nome era Edwirgens e estava ali porque a alegria daquela comemoração havia chamado sua atenção, naquele lugar existiam pessoas felizes.
Edwirgens ficou ali entre muitas pessoas que a olhavam incrédulas e desconfiadas, mas isso não a assustava e a deixava de certa forma curiosa, pois ela queria conhecer um pouco daquelas pessoas. Não menos curiosas, as pessoas que estavam ao seu redor queriam tocá-la, tiravam fotos e filmavam com seus celulares, só não sabiam que aquelas fotos e gravações não conseguiriam registrar a presença daquele pequeno anjo. Ela me contou que logo que fosse embora sua imagem desapareceria também, não podendo ficar qualquer tipo de registro e isso não dependia dela, era involuntário.
Depois de alguns minutos, ela disse que tinha que ir... De imediato começou a sumir lentamente até desaparecer por completo. As pessoas que viram Edwirgens não compreenderam o motivo da aparição, pois esperavam alguma revelação; algo que pudesse mudar o rumo de suas histórias; dizer algo sobre o fim do mundo; uma mensagem que pudesse causar um impacto tão grande e que pudesse mudar o curso da vida de toda a população terrestre. Decepcionadas, espantadas, confusas e um pouco frustradas foram para as suas casas.
A comemoração havia acabado, eu e minha família permanecemos, pois estávamos em nossa casa. Então todos foram dormir e fiquei pensando em tudo que aconteceu... Mais uma vez fui surpreendido, aquela doce voz estava outra vez em minha mente e assim como sumiu, Edwirgens reapareceu com um brilho mais intenso. Ela me disse que iria permanecer entre nós por alguns dias para poder cumprir o que lhe fora designado. Tentei saber do quê se tratava, mas somente sussurrou ao meu ouvido, “mantenha-se despreocupado, seguindo sua vida normal!”. Ela estaria ali e uma vez ou outra apareceria para me dizer ou perguntar sobre algo. Dito isso, mais uma vez desapareceu...
Por vários dias ela apareceu e desapareceu, mas sempre sentia a sua presença onde quer que eu fosse, parecia que ela queria observar a vida aqui na Terra e os seres humanos, a forma com que se portavam e suas reações diante dos simples acontecimentos do dia a dia.
Nos dias em que Edwirgens estava presente, por incrível que pareça, foram os dias que mais presenciei fatos que me entristeciam. Vi pessoas sendo assaltadas, pessoas se ofendendo e trocando socos e pontapés, tiroteios, pessoas mal-humoradas à beira de um ataque de nervos, pessoas viciadas sendo presas, assassinatos e acidentes. A violência tornava-se manchetes em todos os jornais e noticiários da TV. Tudo aquilo, de uma certa forma, estava me deixando abatido, embora já estivesse acostumado em ouvir e ver esses acontecimentos, que já faziam parte do dia a dia de uma cidade, era como se nunca houvesse visto e me causava um espanto.
Certo dia, ao acordar, verifiquei certo brilho no chão do quarto, de imediato percebi que eram penas brilhantes, havia algumas penas espalhadas por todo o quarto e fui recolhendo cada uma e guardado em um pequeno baú. No dia seguinte, mais uma vez verifiquei outras penas e em uma quantidade maior, novamente recolhi e guardei. Não conseguia compreender o que estava acontecendo, sabia que eram as peninhas de Edwirgens, mas não sabia o porquê. À noite veio a descoberta, ela me apareceu com um brilho diferente do que lhe era característico, suas penas praticamente não existiam, sua forma era de um pássaro com uma pequena penugem esverdeada, brilhava é verdade, porém não aquele brilho de antes.
Assustado com o que estava presenciando, fui buscar o pequeno baú com as penas brilhantes encontradas. Chequei e coloquei próximo a ela, mas me disse que era para eu ficar e guardar comigo. Pediu que eu reunisse todos que estavam na pequena comemoração do dia em que apareceu e assim fiz.
Todos estavam novamente reunidos, não como antes, mas apreensivos e um pouco curiosos, eu havia comentado que Edwirgens havia pedido tal encontro, então todos estavam presentes e com uma expectativa de algo surpreendente.
De repente, ela apareceu... As pessoas se assustaram quando viram como ela estava, era um pequeno pássaro depenado e triste, praticamente sem brilho. Ela pediu que eu colocasse aquele pequeno baú ao seu lado. E por alguns minutos não me disse mais nada, ficou a observar as pessoas... As crianças, que antes se aproximaram para tocá-la, já não achavam interessante e se afastavam. Os adultos se questionavam por que aquilo havia acontecido e tentavam alegrá-la, mas nada parecia fazer efeito. Eu também não sabia e não podia explicar.
Depois do breve silêncio, ela disse à minha mente que abrisse o bauzinho e distribuísse as peninhas para cada um que tivesse ali; e assim fiz, as peninhas que eram agora verdes e brilhantes estavam nas mãos de todos, inclusive na minha... Ela pediu que colocasse junto ao coração e permanecesse por alguns minutos. Eu estava transmitindo as mensagens, mas eu não conseguia compreender o objetivo dos pedidos... Ela só me transmitia e eu, assim como os outros, atendia prontamente.
Naquele momento em que todos estavam com a mão no coração o brilho das peninhas tornou-se mais intenso, fazendo um campo de força entre todos naquele lugar. Um brilho verde, como uma energia, clareou mais forte e o pássaro Edwirgens desapareceu. Aquele campo de energia se desfez e como uma estrela subiu ao céu.
Edwirgens partiu, a luz se apagou, mas deixou a lição dentro de nossos corações, que a esperança não vai morrer se nós acreditarmos; a luz não se apagará dentro de nós se não deixarmos a tristeza e os problemas do dia a dia interferirem na nossa alegria, no nosso humor, pois o mau humor das pessoas tem afastado as luzes que emanam dos seres iluminados que estão entre nós.
As penas verdes do pássaro celestial foram como sementes, chamadas esperança, plantadas no nosso coração e sempre vão brilhar se ouvirmos a voz interior.
De repente, novamente sinto uma luz forte sobre mim, era quente e queimava minha pele, abri os olhos e percebi que era apenas sol adentrando o quarto pela janela, me fazendo despertar. Era de manhã... E então pude perceber que tudo não passou de um sonho.

Imagem: http://www.fotolog.com/dalagnol_/34633502/

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Você me Conquistou

Texto: VOCÊ ME CONQUISTOU – Escrito em 06/ 12/2002
Autor: Sidney Santborg

Você passa por mim e nem me olha.
Finge que não me vê e ignora...
Esse jeito fingido de não querer.
Me faz não entender...
Então, não sei o que fazer.
E minha vida é sofrer...
Um amor que chegou tão avassalador.
Que me jogou no chão e pisoteou.
Me hipnotizou e deixou na contramão...
Já não sei o que dizer pra você acreditar.
Tudo que eu falo você ignora.
Mas, por favor, me ouça...
Por favor, escuta o que vou dizer agora!
Quero que o mar transforme-se em gelo.
Se meu amor não é verdadeiro.
E se o que sinto por você não me faz estremecer.
Como um vulcão aquecido pelas lavas do coração.
E movido pelos mais nobres sentimentos.
E pela emoção que tenho quando te vejo...
Quero que a terra queime-se em chamas.
São palavras de quem te ama.
E quer pra sempre o seu amor...

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Música: Vivendo do Passado

Letra: VIVENDO DO PASSADO (Escrito em 25/03/2009)
Autor: Sidney Santborg

Será que estou vivendo do passado?
Lembrando de coisas que não têm nada a ver...
Será que estou mergulhado no passado?
Fico pensando em coisas com você...

Tento controlar esses sentimentos.
Que juntos na minha mente parecem um complô.
Tento disfarçar o meu comportamento.
Escondendo algo que já se revelou...

O amor que trago aqui dentro do peito.
É pura “trairagem” do meu coração.
Que insiste em alimentar esse doce desejo.
Fascinado e muito iludido de tanta paixão...

Será que estou vivendo do passado?
Lembrando de coisas que não têm nada a ver...
Será que estou mergulhado no passado?
Fico pensando em coisas com você...

Lembro daquele momento em que a gente se encontrou.
Amizade, namoro e logo a gente se juntou...
Vivemos dois anos e um dia você me deixou.
Hoje você nem me olha e sofrendo eu estou...

Lembro de tudo aquilo com que a gente sonhava.
Aquele futuro que a gente planejou.
Uma família com muitos filhos e a nossa casa.
Veio uma chuva fortíssima e levou...

Será que estou vivendo do passado?
Lembrando de coisas que não têm nada  a ver...
Será que estou mergulhado no passado?
Fico pensando em coisas com você...

Tenho que partir para outra!
Senão eu não vou suportar!
A vida é mesmo muito louca!
E assim eu não posso ficar!

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Um simples olhar

Texto: UM SIMPLES OLHAR
Autor: Sidney Santborg

Descobri o amor.
Descobri a paixão...
Quando te vi bateu mais forte o meu coração.
E foi somente em um olhar.
Você me fez apaixonar.
E a cada dia mais querer te encontrar...
Cruzar o seu caminho.
Te seguir onde quer que vá.
Eu estarei sempre sozinho.
Quando você me procurar...
Então me abraça.
E diga que não é um sonho.
Que tudo é tão real.
E que aceita o que proponho!
Então me chama.
E diga logo que me ama.
Vamos fazer loucura juntos.
No calor de nossa cama!

domingo, 24 de julho de 2011

A figura AMY WINEHOUSE

Hoje resolvi postar algo diferente do que venho postando normalmente; isso se deve ao fato do que ocorreu com a cantora Amy Winehouse, figura muito conhecida no cenário musical.
Não cabe aqui descrever quem foi a cantora ou quais os seus sucessos... É incontestável o seu talento. O que pretendo é falar um pouco daquela figura estereotipada, que causa em muitos repulsa ou para aqueles que têm a rebeldia como uma ideologia, um símbolo. Sim um símbolo, talvez uma forma de dizer não se importe comigo, não se importe com a minha vida ou me deixe em paz com os meus medos, minhas tristezas e com os meus problemas... A ousadia era sua autenticidade. Mesmo podendo ser um símbolo para alguns, não diria que é um exemplo a ser seguido, pois durante toda a sua carreira o que se viu, além do seu destaque e premiação na música, foram os escândalos devido ao uso constante de álcool e drogas, que lamentavelmente a levou.
Vejo essa figura como a maioria vê, extravagante em sua essência, mas lamento o que tenha ocorrido, foi uma grande perda para a música e para os fãs, pois por mais visível que estivesse, sou do tipo que sempre torce pra que a personagem principal dê a volta por cima e chegue ao final, como em um filme... Vitoriosa! Sigo acreditando que tais pessoas como esta não têm uma vida normal como a maioria de nós, mas vive escrevendo um roteiro que mais cedo ou mais tarde será visto em uma grande tela, com um final muitas vezes não esperado por nós.
Acredito ainda, que tais pessoas têm uma luz muito forte, pois se não fosse assim não conseguiriam brilhar e conquistar tudo o que conquistam. Para Amy, lamentavelmente, a treva dominou e a vida de quem tinha uma luz que ainda teimava em ficar acesa se apagou, mas o brilho da figura AMY WINEHOUSE não se apagará, como os grandes artistas dantes, ela entrará para a história, pois a sua obra ficou imortalizada no cenário musical colocando-a no status de novo mito mundial.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Música: Garota Complicada - Teen Rock

Letra: GAROTA COMPLICADA – Teen Rock - Escrita em 23/03/2009.
Autor: Sidney Santborg

Complicada, você é uma garota complicada!
Você é muito, muito complicada!
Reclama e eu não posso dizer nada!
Garota você é uma complicação...

Você me chama pra sair...
Digo eis-me aqui.
Pronto para te buscar.
Onde é que você está?

Já no lugar marcado.
Chego uma hora adiantado.
Prevendo aquele seu atraso.
Mas você parece não se importar...
E me deixou aqui na porta a esperar.
Não teve nenhuma consideração!

Complicada, você é uma garota complicada!
Você é muito, muito complicada!
Reclama e eu não posso dizer nada!
Garota você é uma complicação...

Você diz que é espiritualizada.
Que pertence a um mundo superior.
Mas só vejo você dando mancada...
Acho que o espírito te deixou!

Você diz que consulta mapa astral.
E que faz viagem transcendental.
Magia, yoga e meditação...
Mas só te vejo armando confusão!

Complicada, você é uma garota complicada!
Você é muito, muito complicada!
Reclama e eu não posso dizer nada!
Garota você é uma complicação...

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Marcas da nossa história

















Texto: MARCAS DA NOSSA HISTÓRIA
Autor: Sidney Santborg

Existem momentos que o tempo não consegue apagar.
Lembranças gravadas na nossa memória.
Detalhes que marcaram a nossa história...
Se foi importante você sempre vai lembrar.
Alegres ou tristes, não há como escapar...
Isso faz parte de você e jamais vai esquecer!

Marcas... Marcas que ficaram na nossa memória.
São marcas da nossa história.
Difíceis de apagar...
Marcas... Marcas que ficaram na nossa memória.
São marcas da nossa história.
Impossíveis de se esquecer...

Você pode até tentar...
Inventando simulacros para disfarçar.
São sofismas para esconder...
As verdadeiras marcas que estão em você!

E não adianta apenas querer.
Reviver somente aquilo que te deu prazer.
Porque as marcas deixadas no teu ser.
Foram importantes pra você crescer!

Marcas... Marcas que ficaram na nossa memória.
São marcas da nossa história.
Difíceis de apagar...
Marcas... Marcas que ficaram na nossa memória.
São marcas da nossa história.
Impossíveis de se esquecer...

Imagem: http://artcomunidade.blogspot.com.br

sábado, 2 de julho de 2011

Eterna busca

Texto: ETERNA BUSCA
Autor: Sidney Santborg

Você está sempre buscando a sua saída.
Buscando respostas para sua vida.
Busca razão pra buscar...
Busca motivos pra tentar...
Tenta situações que não dá pra explicar.
Algo que a possibilite ir mais além.
Algo que a satisfaça e lhe traga paz.
Algo para buscar algo mais...

Vive a reclamar a todo o momento.
Questiona até o meu mais puro pensamento.
Vive sem saber o que buscar...
Não acha porque não sabe procurar...

Tento entender.
Mas não sabe explicar!
Não consegue ver.
Aquilo que não sabe achar!

Está esperando ver.
A mulher da TV.
Quem sabe possa lhe dizer...
Aquilo que sempre quis saber.

Busca alguém pra explicar...
Busca imatura por buscar...
Busca somente encontrar...
Busca tentando se achar...

Do sofrimento à imortalidade...

Este pequeno comentário fiz em um blog de um amigo escritor e resolvi postar aqui por achar que seria interessante que os meus leitores também pudessem ler...

"O sofrimento muitas vezes é visto de forma negativa... Para a maioria dos mortais é sim uma forma negativa, mas para os escritores serve de combustível para o amadurecimento da vida intelectual, pois é através dele que as pérolas da literatura são escritas, concedendo a imortalidade a um simples mortal."

terça-feira, 14 de junho de 2011

Música: Ser Humano Programado ( Rock para Pitty)















Esta letra fiz para a cantora Pitty e espero um dia poder vê-la cantar:

Letra: SER HUMANO PROGRAMADO - Rock - Escrito em 11/04/2009
Autor: Sidney Santborg

Saber que tenho que mudar!
Saber que tenho que mudar!
Por mais que eu corra...
Por mais que eu sofra...
Isso eu vou ter que aceitar!

O mundo é assim...
Não tenha dó de mim!
Tenho que encarar!
Tenho que me enquadrar.
Neste grupo social, em que tudo é igual...
Fugir desse modelo é um pesadelo.
E ser taxado de anormal...
Isso não é legal!

Um ser humano programado.
Um robô adaptado.
Feito para não errar!
Viver sempre cercado.
Pessoas por todo lado!
E mesmo assim se sentir só.
Consigo enclausurado.
Pagando os seus pecados.
Mas tem que ser assim!
A vida é assim!
O mundo é assim!

Saber que tenho que mudar!
Saber que tenho que mudar!
Por mais que eu corra...
Por mais que eu sofra...
Isso eu vou ter que aceitar!

A sociedade quer me moldar...
Quer me padronizar.
Quer que eu siga o caminho...
Como um fluxo industrial.
Um produto na esteira.
É todo mundo igual...
Com um código na testa.
Pra leitura digital!

Isso não é legal...
Eu não sou assim!
Não quero ser assim!
Mas tenho que aceitar.
Preciso me moldar...
O que se convencionou.
Sozinho eu não posso mudar...
E tenho que aceitar!

Saber que tenho que mudar!
Saber que tenho que mudar!
Por mais que eu corra...
Por mais que eu sofra...
Isso eu vou ter que aceitar!

É globalização.
É unificação.
Da cultura nacional!

É globalização.
É unificação.
Da cultura mundial!

É globalização.
É unificação.
É todo mundo igual!
É todo mundo igual!
É tudo muito igual...

Imagem:  Ângela Fakir
Retirado do blog: http://libertesedosistema.tumblr.com 

domingo, 12 de junho de 2011

Música: Doce Lembrança

Letra: DOCE LEMBRANÇA
Autor: Sidney Santborg

Vejo no horizonte o sol nascer tudo é tão lindo.
Penso em você e sinto uma chama no meu peito consumindo.
Uma dor que dói bem lá no fundo da alma...
Ai, ai, ai, amor...

A doce lembrança do teu beijo.
E o desejo de estar junto a você.
Me faz não esquecer.
Daqueles momentos...
Que passamos juntos, juntos, juntos...

A noite fria aqueceu.
No mundo você e eu.
Estamos juntos e sempre unidos para amar...

A noite fria esquentou.
Quando você chegou.
E um céu de estrelas no meu coração...
Você deixou.

Doce lembrança...
Doce lembrança...
Doce lembrança de você...
Doce lembrança...
Doce lembrança...
Doce lembrança de você... Meu amor!

segunda-feira, 23 de maio de 2011

O sorriso é o sol

O SORRISO É O SOL
Sidney Santborg

Quando estiver triste...
O sorriso é o sol.
Quando estiver enfadado.
E o corpo cansado...
O sorriso é o sol.
Quando estiver deprimido.
E desiludido...
O sorriso é o sol.
Portanto, sorria!
Sorria pro mundo!
Sorria pra vida!
Não importa...
Apenas sorria.
Pois o sorriso é o sol.
Que afasta a tristeza.
Em dias nublados.
De escuridão emocional...

quinta-feira, 21 de abril de 2011

A arte é uma Loucura

A ARTE É UMA LOUCURA
Sidney Santborg

"A arte de ser louco consiste em trazer ao óbvio um ponto de vista diferente.
Fazer do esperado o inesperado... Criar um significado para uma incompreensível forma de expressão, cuja ousadia é a loucura, que somente a sabedoria consegue decifrar."

sábado, 8 de janeiro de 2011

Pombinha Branca













Texto: POMBINHA BRANCA - Escrito em 29/06/2007
Autor: Sidney Santborg

Essa é a história da pombinha branca que vivia triste por estar presa.
De repente, quando colocada diante de um espelho, redescobriu um novo motivo para viver e para ser feliz, pois ao se ver no espelho, ela percebeu que existia vida além de sua vida.
A beleza que via refletir lhe trazia as melhores lembranças, os melhores momentos que vivera... Como se fosse um filme, visto em uma grande tela de cinema, onde os personagens pareciam saltar ao seu encontro.
Isso a deixava feliz! Fazia-lhe esquecer da tristeza e da depressão por estar sozinha e presa. Ela conseguia ver além... Voar pelo céu de um infinito encantamento, sentir o vento em suas penas, suas asas bailavam no sublime movimento do voo. Isso a fazia muito bem, isso a deixava em êxtase... Esquecendo-se que era apenas um brinquedo feito de madeira jogado em um canto de uma casa e que a sua memória era apenas a história contada pela avó de uma criança, que há muito tempo a deixou... E tudo não passou de um sonho.

Imagem: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-478857439-mobile-de-madeira-pomba-_JM
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

EU APOIO!

Vídeos referentes a Sidney Santborg

Loading...