domingo, 13 de maio de 2012

Mãe, Engenhosidade de Deus




















Texto: MÃE, ENGENHOSIDADE DE DEUS
Autor: Sidney Santborg

Era apenas um ponto em um universo desconhecido. Estava mergulhado em um mar de sentimentos. Submerso em um local onde nada conseguia ver.
Era como estar em uma cápsula futurista, algo tão extraordinário que me fazia perceber um mundo novo. Eu podia ouvir vozes, sons, manifestações de carinho, alegria ou de tristeza. Tinha uma conexão que me ligava a tudo isso. Um fio ligado ao meu corpo trazendo a energia que eu precisava, para manter minha bateria recarregada.
Sentia os impulsos vindos sobre mim... Isso me fazia desenvolver. Uma eletricidade que se propagava pelo meu corpo, me alimentando e me programando. Sim, trazendo à minha mente as programações necessárias que iriam fazer parte dos fusíveis da minha personalidade e da minha existência.
Aos poucos fui me adaptando a essa forma de viver, que mesmo não tendo a visão desenvolvida naquele momento, conseguia sentir com tanta intensidade, que podia descrever como se estivesse vendo.
Então, passei a interagir com as emoções que me eram enviadas. Queria mostrar a todos que podia ouvir tudo o que diziam. Mexia-me dentro daquela cápsula  protetora, fazendo movimentos para que identificassem que tinha alguém ali dentro.
Eu podia perceber que além do local onde eu estava, existia um mundo externo, era tudo muito agitado, bem diferente do meu. Fiquei curioso para saber como era, mas não sabia como fazer para chegar até eles. Então permaneci durante um bom tempo, apenas recebendo as informações e interagindo.
O meu mundo era a minha cápsula e era tudo perfeito, mas aos poucos percebi que ela estava diminuindo, começando a me comprimir. Eu já não conseguia me mexer direito... Percebi que a cápsula continuava a mesma, eu que estava desenvolvendo muito, estava crescendo. Em determinados momentos, eu empurrava as paredes com tamanha força, que nem sabia que tinha, mas era uma forma de procurar mais espaço.
Certo dia, ao despertar, verifiquei que a cápsula tinha chegado a um limite que eu já não estava conseguindo suportar. Isso me assustou, porque eu me sentia pressionado. Comecei a chutar, a me movimentar de tal forma, pra chamar a atenção de todos ao meu desespero para sair de lá.
Então, eles perceberam... E a movimentação externa começou. Eles estavam em uma grande correria, muita gente falando... Tudo aquilo me agitava cada vez mais.  Comecei a sentir uma dor dentro de mim, algo inexplicável, pois percebi que havia alguém chorando, gritando de forma assustadora a cada movimento brusco que eu fazia.
Eu estava muito agitado, com medo e me debatia cada vez mais... até que de repente, percebi que o líquido em que eu estava submerso começou a secar e me desesperei, já não aguentava ficar na cápsula. Já sentia alguém me tocando, era estranho tudo aquilo, eu estava sendo pressionado... A minha cápsula estava sendo esmagada e algo me puxava para fora.
De imediato senti uma claridade indescritível. Senti nos meus olhos, pela primeira vez, aquela luz... Não conseguia compreender tal fato.
Havia vários seres estranhos, estava conseguindo perceber tudo isso, quando de surpresa levei uma palmada e aquilo ardeu muito no meu corpo, nunca havia sentido tamanha agressão. Comecei a gritar e a chorar muito. Alguém me segurou e me envolveu em um tipo de pele, pois lembro que estava sentindo frio.  Continuei a chorar botando pra fora toda a angústia e a dor que estava sentido... Até que me levaram a um local seguro.
Era um lugar onde, mesmo estando fora do meu mundo, conseguia ficar tranquilo, pois sentia que fazia parte de mim. A proteção que antes eu sentia, estava sentido junto desse ser. Fiquei feliz e parei de chorar, senti o seu coração batendo junto com o meu, o seu cheiro era maravilhoso... Recebi muito carinho, reconheci sua voz, era a mesma que eu ouvia antes, era quem estava sempre comigo todos os dias, era quem me dava a energia para me manter vivo durante o tempo que permaneci na cápsula.
Descobri que este ser, que esteve comigo todo o tempo tinha um nome curioso, chama-se MÃE. E que a partir daquele momento, seria muito importante durante toda a minha vida nesse novo mundo.
MÃE é a mais engenhosa máquina feita por Deus para gerar vida.


 “Esta é minha homenagem a todas as Mães, parabéns pelo dia tão especial. E a que me gerou um singelo obrigado e um Eu te amo!” – Sidney Santborg 

Imagem: doutissima.com.br

Um comentário:

  1. Muito bom esse aqui. O texto lembra um pouco a "quebra" do cordão umbilical que temos que fazer ao longo da nossa vida. Eu vejo nele esse duplo sentido.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

EU APOIO!

Vídeos referentes a Sidney Santborg

Loading...